Dólar alto: como economizar na viagem para Nova York

Está com vontade de visitar Nova York em breve mas o dólar caro é um empecilho? Leia este post e descubra cinco maneiras de economizar um pouco enquanto você visita a melhor cidade do mundo.

1. Preste atenção nos detalhes

Uma das maneiras de ganhar desconto em lojas e restaurantes é sempre dar uma olhada nos recibos. Os estabelecimentos geralmente dão algum incentivo para quem preenche pesquisas de satisfação, fazem uma nova compra, se cadastram em emails ou baixam o aplicativo próprio da marca.

O Shake Shack, rede de fast food que nasceu em Nova York, dá desconto para quem faz o pedido online no app. É mais barato e até mais rápido do que enfrentar as filas longas. Já os cupons do Chick-fil-A ou McDonalds costumam oferecer descontos ou lanches se você responde questionários nos sites deles.

Além disso, é válido dar uma olhada no Groupon para ver se alguns restaurantes oferecem pratos e bebidas por precinhos mais amigáveis. Qualquer ajuda é boa, né?

Por fim, se quiser comer mais saudável, recomendo comer em delis ou supermercados. Delis são lojas que estão em toda esquina e têm comida self-service, além de sanduíches, paninis, bagels e tudo mais o que você pensar. Já o WholeFoods é um supermercado que também serve almoço e jantar no peso. Por sinal, a comida é boa, barata e bem saborosa.

2. Acomodação dentro e fora de Manhattan

Para quem gosta de conhecer pessoas novas e quer muito ficar em Manhattan, vale conferir se o HI New York City Hostel, no bairro do Upper West Side, tem vagas. O albergue oferece café da manhã, tem eventos divertidos e fica perto do metrô. Sem contar que o preço de uma diária é metade do valor de hotel.

Para quem prefere algo mais calmo, mas ainda com a experiência de ficar num lar nova iorquino, a dica é ficar em AirBnBs mais afastados (mas nem tanto). Apartamentos no Brooklyn ou Queens podem ser bem convenientes e bem mais acessíveis. Um bairro muito legal e hipster é Williamsburg, só que costuma ser mais salgado. Entretanto, logo ali do lado, em Bushwick, tem opções melhores. No Queens, evite Long Island City ($$$), mas procure por quartos em Astoria ou Ditmars.

3. E passeios de graça?

Acho que o mais incrível de passear em Nova York é que tem várias maneiras de curtir a cidade sem gastar muito. As praças são um ótimo lugar para observar as pessoas: como elas andam, se vestem, se comportam. Os parques, como o Central Park, Bryant Park e o Prospect Park, contam com várias atrações tanto no verão como no inverno.

E também tem os museus. Dependendo do dia e horário, eles podem sair por valores irrisórios ou até completamente gratuitos. É o caso do MoMa (Museu de Arte Moderna) que não cobra nada no fim da tarde da sexta-feira. Se você estiver acompanhado de algum residente da cidade, melhor ainda. Basta doar um valor simbólico e o passeio ao MET (Museu Metropolitano de Arte) está garantido. E nas segundas-feiras a entrada é gratuita para o Museu do 11 de Setembro, entre 15h30 e 17h.

4. E quanto as compras?

Além de visitar outlets e checar os sites das lojas para procurar descontos nas compras online, outra maneira de comprar roupas, sapatos e acessórios é visitar brechós. Embora muitas pessoas ainda não tenham esse costume no Brasil, aqui em Nova York (e nos EUA em geral) é super normal. Muitas vezes esses locais oferecem produtos novos, ainda com etiqueta, e que provavelmente iriam parar direto no lixão porque não venderam bem ou nunca foram parar na loja por algum motivo.

Dessa forma, comprar em brechós é mais em conta e sustentável. Fora que você pode ter a sorte de encontrar objetos em excelente estado e de marcas bem famosas como Coach, Marc Jacobs, Michael Kors, J. Crew, Tommy Hilfiger e tantas outras.

Recomendo visitar brechós no Brooklyn (Williamsburg e Bushwick tem vários). Se tiver com pouco tempo, em Manhattan você acha Housing Works Thrift Shop, Goodwill e Buffalo Exchange. Elas são bem populares e fáceis de achar.

5. Peças de teatro e musicais da Broadway

Já imaginou ir a Nova York e não visitar um teatro? Nem pensar, não é? A Broadway é uma das principais atrações da cidade. Toda a sua exuberância, qualidade e talento valem a pena. Mas com a conversão da moeda americana nas alturas eu sei que fica puxado investir num ingresso tão valioso. Só que nem tudo está perdido…

A loteria da Broadway é uma maneira real de conseguir assistir a um musical sem gastar toda as nossas reservas. Eu já ganhei umas sete vezes (que eu me lembre). Todas as dicas de Como Comprar Ingressos Baratos da Broadway estão aqui nesse post.

Gostou das dicas? Deixe o seu comentário aqui embaixo e não se esqueça de se inscrever no meu canal do Youtube.

%d bloggers like this: